Pesquisar no blog

Carregando...

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

CONCEPÇÃO DE CURRICULO:

CONCEPÇÃO DO CURRÍCULO

A composição do conjunto de atividades curriculares do curso considera, em princípio, duas situações: a de que, por tratar-se de um curso novo, há espaço para conceber uma matriz diferenciada de formação, que supere algumas características que se vêm cristalizando nos cursos de Letras, e ainda a possibilidade de contemplar-se o sopro inovador presente nas disposições mais recentes do CNE, especialmente as disposições da Resolução CNE/CP de 01/02/2002.

Desse modo, foram contempladas, na composição curricular apresentada, as seguintes questões:

Acolhimento da diversidade
Em se tratando da formação de um profissional da área de Letras, a questão da diversidade atinge duas vertentes: a diversidade cultural brasileira e, dentro dela, a diversidade lingüística. Desse modo, a Lingüística, a Língua Portuguesa, a Cultura Brasileira, a Língua Inglesa e as Literaturas Anglófonas, notadamente as pós-coloniais, são componentes curriculares que acolhem o trato de temas como: a oralidade e a escrita como modalidades que multiplicam as possibilidades de criação comunicativa, a variedade dialetal brasileira em seus aspectos sociolingüísticos, as especificidades da cultura brasileira com os debates atuais sobre etnia e gênero e temas relevantes da cultura brasileira e das culturas no âmbito da anglofonia.

Desenvolvimento do espírito de equipe e reflexividade crítica
O trabalho de prática e estágio contempla metodologias que supõem reflexão individual compartilhada com o grupo, favorecendo ”a reflexividade crítica e emancipatória sobre a prática cotidiana como principal aporte da presente proposta de trabalho” (Programa de Formação para Professores, SEC-BA 2003:10).

Avaliação como parte integrante do processo de formação
Além dos espaços internos de cada componente curricular, onde a avaliação do processo deve ser uma constante, a participação coletiva de docentes e discentes visa à imersão em processos de avaliação contínua, com reflexos evidentes na compreensão da avaliação como atividade e atitude permanente necessárias ao professor que se pretende formar.

Vivência de valores inspiradores de uma sociedade democrática
No âmbito específico de vários componentes curriculares, dá-se ênfase à questão dos valores democráticos. Entretanto, é na ambiência universitária e no processo de avaliação que essa vivência se tornará efetiva.

Para isso, o aluno deverá receber uma formação que propicie:

Compreensão da linguagem como fenômeno histórico, social, cultural, político e ideológico;
Compreensão das teorias lingüísticas e literárias;
Compreensão do papel do professor no Ensino Fundamental e Médio;
Domínio do uso da língua inglesa nas suas modalidades oral e escrita;
Compromisso com a ética e a responsabilidade social;
Capacidade de empreender uma busca permanente no desenvolvimento profissional;
Conhecimento das estruturas lingüísticas e seus usos em contextos variados, com competência para a produção e compreensão de textos orais e escritos na língua inglesa;
Correlação entre as transformações sócio-históricas e as mudanças lingüísticas e estabelecimento da relação entre língua, cultura e sociedade;
Reflexão acerca dos diversos gêneros textuais e literários com indicação das características estruturais que os definem e os distinguem;
Compreensão do processo de elaboração do texto literário, estabelecendo a conexão entre a literatura e os acontecimentos étnico-raciais, sociais, históricos, políticos e culturais;
Habilidade em tradução, tendo em vista correspondência semântica, sintática, pragmática e estilística na transposição do texto da língua inglesa para a língua materna;
Análise comparativa, envolvendo os níveis morfossintáticos, semânticos, estilísticos e pragmáticos entre a língua inglesa e a língua materna;
Competência para o exercício do magistério, com domínio de metodologias e teorias adequadas acerca do processo de ensino-aprendizagem, com capacidade para resolução de problemas, promoção de alternativas educacionais em seu meio profissional e avaliação permanente do desempenho dos alunos, da instituição e do seu próprio trabalho;
Utilização das tecnologias disponíveis como recursos básicos para viabilizar a aprendizagem;
Promoção das relações interpessoais, valorizando o sentimento de humanidade e as ações sociais, pacíficas e solidárias, com ênfase no trabalho coletivo.
DIMENSÕES E EIXOS CURRICULARES
Conforme prevê a legislação atual para a composição de currículos de licenciaturas, o que se propõe neste projeto engloba vários eixos temáticos que direcionam os tópicos a serem desenvolvidos e se complementam na sua execução. Para um curso de Letras dois grandes eixos constituem a base que norteia o desenvolvimento de temas específicos. A eles acoplam-se dois outros eixos menores, em princípio, mas indispensáveis à formação do profissional da educação. Os dois eixos maiores referidos são: o Eixo Lingüístico e o Eixo Literário, os quais reúnem a maior carga horária e o maior número de componentes. O Eixo Pedagógico e o Eixo de Atividades Complementares, referidos como eixos menores, exercem papéis de relevante dimensão por constituírem-se em articuladores. Portanto, não há porque pensar-se em subestimar a importância, para o currículo, de um ou de outro eixo. A importância de cada eixo temático não é medida pelo tempo dedicado ao desdobramento das atividades, mas pela forma em que cada um deles insere-se no outro no cumprimento dos objetivos do curso. Tem-se, assim, a dimensão exata do papel de cada eixo e de seus componentes curriculares.

EIXO LINGÜISTICO
As competências requeridas do profissional de Letras, naturalmente, estão quase todas centradas em treinamento mais acentuado de habilidades envolvendo a linguagem, as teorias lingüísticas, e o domínio da língua materna e/ou estrangeira. Os fundamentos da língua precisam ser completamente analisados com segurança nos seus vários aspectos, principalmente lingüístico, histórico e social. No caso específico da língua estrangeira, conforme já citado anteriormente, exige-se, ao final, que o profissional tenha completo domínio oral e escrito, com fluência e adequação em situações diversificadas de uso. Presume-se, a partir daí, que os principais componentes curriculares, e o maior tempo destinado à pesquisa neste curso devam priorizar o Eixo Lingüístico dada à dimensão que se quer atingir na proposta de formação de um profissional com o perfil desejado. Entende-se, portanto, que o Eixo Lingüístico é o que visa à construção do perfil do profissional da área de Letras, no que diz respeito às matérias de formação específica.

EIXO LITERÁRIO
O Eixo Literário, a exemplo do Eixo Lingüístico, volta-se também para a discussão de temas considerados mais relevantes para a pesquisa e desenvolvimento de trabalhos inéditos. Devem ser tratados e problematizados tópicos significativos da constituição da realidade social e cultural brasileira ou de fora do Brasil, noções de identidade nacional, diversidade étnica e cultural, localismo e universalismo. São temas que perfeitamente podem ser analisados criticamente em exemplares de língua portuguesa e/ou inglesa, tanto em textos canônicos bem como em textos produzidos à margem da cultura erudita. Podem se discutidos valores e representações sociais produzidos não só pelas culturas hegemônicas mas também pelas culturas periféricas. A discussão dos temas considera também a literatura numa perspectiva estética e cultural, como uma atividade histórica e socialmente construída em constante diálogo com produções artísticas e culturais diversas. O estudo dos tópicos diversos necessita dos aportes do campo da teoria e da crítica literária indispensáveis para a compreensão da própria literatura como um fato social e cultural.

EIXO PEDAGÓGICO
O Eixo Pedagógico pode ser considerado de menor dimensão mas não de menor importância. Tudo o que é visto, no que se refere a conteúdos de formação específica, não teria aplicabilidade se não houvesse os meios para tornar as teorias e as práticas úteis na construção do perfil para a docência. Faz-se, então, necessária a inserção do futuro profissional em ambientes de ensino/aprendizagem culminando com os estágios que podem, mas não necessariamente, devem ocorrer nos últimos semestres. É o eixo em que, de forma mais concreta, promove-se a discussão de políticas de ensino, estratégias de planejamento do ensino e da avaliação e, principalmente, a preparação para a inserção no contexto escolar.

EIXO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES
Enfim, o Eixo de Atividades Complementares é o que se encaixa como um elemento de expansão do que é tratado nos demais eixos, e que é desenvolvido de uma forma sem modelo prévio e circunstancialmente variável. Pode-se dizer que se trata de um eixo de integração, ou seja: um eixo que pode ser inserido nos demais, com programação de atividades que dizem respeito, ou tem relação com os temas de todos os eixos. Destacam-se atividades de extensão extracurriculares, não fixadas previamente, voltadas para a reflexão coletiva. As atividades neste eixo, contudo, requerem discussões de temas que envolvem áreas de conhecimento do curso e se voltam para questões emergentes.

Nenhum comentário:

Educadora Especial / baseado no Simple | por © Templates e Acess�rios ©2011